Você tem vontade e coragem para encontrar-se consigo mesmo ou é mais fácil avaliar e observar a vida do outro? Será que essa vontade de mirar na personalidade alheia não seria uma fuga de si mesmo? Levamos poucos minutos para avaliar e julgar uma pessoa, mas você já reparou que podemos passar uma vida inteira sem entender o que se passa dentro de nós mesmos?

Para conseguir compreender quem é, você precisa desvendar-se. Comece por perguntas que o levem a um raciocínio mais introspectivo. Exemplo: Como o homem funciona? Como foi constituído, como ele trouxe a inteligência até aqui, como se move? Os primeiros movimentos dentro do autoconhecimento implicam colocar em xeque seus conceitos de vida. “(Conceitos são revestimentos simbólicos e temporários de algo que eu ainda não sei)” … Conhece-te a ti mesmo, conhece-te a ti mesmo, o maior empreendimento que uma psique inconsciente vem desenvolver na gleba humana. […] exatamente. Ama-te, aceita-te, compadece-te de ti mesmo, sê gentil e cordial contigo mesmo, conhece o desconhecido que há dentro de ti, ama-te incondicionalmente, não te envergonhes da tua história, seja ela qual for, procura conhecê-la nas entrelinhas da tua sensibilidade e a não repetir o que te disseram”. (Sistema Tempo de Ser).

Interesse-se por você. Comece pela auto-observação. Coloque-se na condição de ser seu principal projeto de vida e lembre-se que qualquer projeto tem que ter um objetivo e esse objetivo tem que estar muito claro – neste caso o autoconhecimento. A partir daí, você já pode delinear as etapas de desenvolvimento. Mas não esqueça de algo importante: você vai precisar ter um projeto de estudo. Para passar-se em um concurso público o candidato vai precisar investir em tempo para o estudo, vai precisar pesquisar e incorporar conteúdo. Então, comece a pesquisar sobre a origem do ser humano, seus comportamentos, crenças e conceitos.

Afunile mais a pesquisa e busque também saber da sua própria origem. Indague sobre a história da sua família, principalmente de seus pais. Colha o máximo de informações sobre sua infância e vá fundo em busca de saber como foram seus primeiros três anos de vida. Procure por lembranças que de alguma forma o impactaram, e como isso se reflete hoje em sua vida. Conte a si mesmo a história da sua vida. Tente fazer isso nos mínimos detalhes. Faça o máximo de anotações. Escreva sobre situações experimentadas no dia a dia, e suas reações perante as mesmas. Anote desde os pequenos sentimentos até os que mexeram com você fisicamente. Faça menções sobre sua forma de alimentar, conviver com as pessoas, sobre suas percepções em relação ao que o rodeia. Gaste seu tempo com você. De forma acolhedora, sem julgamentos, sem piedade, sem cobranças. Apenas observe como está e como se sente. Se precisar, procure ajuda de profissionais capacitados para ajudá-lo na área terapêutica, ou mesmo grupos que estudem o autoconhecimento. Mas mantenha sempre o foco em você.

“Se torne o filósofo e o cientista de si mesmo. Nem ouro nem prata… Você para si mesmo. Você. Você carente, você distante, você tão perto e tão longe de você, tão desconhecido de si mesmo. Conheça-se a si mesmo, pois conhecerá a verdade e a verdade te libertará”. (Sistema Tempo de Ser)

Fontes – Curso MVS – Aula de 27/09/2012 – Núcleo de Aprendizagem de São José dos Campos

Educadora Lilian Flores

Núcleo de Birigui-SP

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone