Sobrevivendo a mim

Sobreviver me impulsiona

E também me sobrecarrega

Sobreviver me direciona

E também me ilude

Sobreviver me assusta

E também me serve de ferramenta.

Cada passo me reflete

E também me suporta.

Certas vezes me prende, em outras me empurra.

Certas vezes me cansa, em outras me instiga.

Sobreviver me arranha

Me grita

Me pulsa

Me vive

E a cada segundo

Também me mata.

 

NA SP - Inf 130 - Blog . 2 - CredEm alguns momentos me sinto sufocada com toda essa história. Às vezes, olho para mim, para as coisas ao meu redor e percebo o quanto tudo me foge ao controle. Mas, mesmo assim, preciso reagir e tomar decisões o dia todo. Sou professora e comecei a escrever esta poesia num dia de aula em que me sentia completamente perdida. Sentia que pouco sabia do que falava, muito menos para quem eu falava. Só terminei a aula por uma “força maior”. Rsrsrs… Até hoje não voltei ao meu estado normal, estabilizado.  Não havia pensado em um titulo, mas talvez “Sobrevivendo a mim”.

Priscila Freire

Conselho de Comunicação e Fluxo de Dados do NA-SPO

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone