Conjunto de tendências presente em todos os indivíduos, que se manifesta em comportamentos reais ou fantasiosos, que objetivam prejudicar, destruir ou humilhar o outro.

images (42)Quando se fala ou ouve alguém falar em Agressividade, de imediato vem à tona a ideia da tendência na ação ou reação manifestada, sempre de forma violenta, normalmente, através do que se denomina “vias de fato”, ou seja, a violência praticada contra a pessoa sem, contudo, produzir lesões corporais.

Embora esse seja um tema muito abordado e difundido, fato é que muito ainda há a ser observado, investigado, catalogado e descrito sobre essa forma de manifestação do comportamento humano.

images (46)Propõe-se, inicialmente, para reflexões, as seguintes questões: O que é agressividade? Agressividade é mais um padrão do comportamento humano? Quais são as principais formas de manifestação da mesma? Omissão, submissão, passividade, indiferença, desrespeito,  arrogância, hipocrisia,  maledicência,  julgamento do outro,  desentendimento, prepotência, entre tantos mais. Também são formas manifestativas do comportamento humano agressivo? Ante tais reflexões, indaga-se: Você se considera um ser agressivo em sua maneira de  comportar-se e manifestar-se? Quando, como e por quê?

Segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, agressividade, como substantivo feminino, significa qualidade, caráter ou condição de agressivo; disposição para agredir e/ou para provocar. Segundo Sigmund Freud (1856-1939), conjunto de tendências presente em todos os indivíduos, que se manifesta em comportamentos reais ou fantasiosos, que objetivam prejudicar, destruir ou humilhar o outro. Na teoria da psicanalista austríaca Melanie Klein (1882-1960), força que promove uma radical desorganização e fragmentação da psique; forma de desequilíbrio que se caracteriza por uma constante hostilidade diante de outrem.

 images (48)O ser humano é magoado e agressivo. Até mesmo quando se pede para alguém não ser ‘agressivo’. Isso pode dar-se de forma agressiva. A agressividade está em cada ser humano. E tanto isso é certo que, ao elaborar este conteúdo, colocando-me no seu contexto, pude observar e sentir diversas formas de manifestações agressivas próprias, notadamente a suposta indiferença ao que se propunha, e, em alguns momentos, a vontade de não fazer nada (omissão), talvez para não confrontar com áreas indesejadas em mim mesmo.

E por que um ser humano agride outro, nessas múltiplas formas de manifestações, diante de si? Será que é porque ele está no limite de saturação da mesma espécie? Quem tem alguém cuja “presença” o incomoda? Isso tem correlação absolutamente direta com os registros da sua infância no seu sistema de autoimagem. Só isto? Tudo isto.

Então, é a presença do outro que o incomoda no momento em que você, por exemplo, está reativo internamente? – Não. Não é ele que o está incomodando, mas são as matrizes infantis impressas no seu cérebro. A agressividade normalmente está vinculada à ação ou realização de algo ou alguma coisa.

 Ser psíquico/Ser humano!

O ser psíquico utiliza-se das informações armazenadas na sua estrutura neural e pensa ou raciocina a forma ou a condição humana em que se manifestará. Nessa condição, há sentimentos, emoções que balizarão o comportamento humano, ou comportamento da espécie, nas suas ações ou reações, sempre revestidas pelo raciocínio e pelas informações que lhe foram transmitidas pelo meio ou por seus educadores, desde o início da existência.images (41)

Essa relação entre ambiente, sentidos, sentimentos e emoções não é exclusiva do ser humano, mas, de maneira ampla, pertence ao reino animal, sobretudo dos animais ditos superiores. A diferença do ser humano para os demais animais, ditos inferiores, está na presença de um cérebro mais bem organizado, oferecendo condições de ter noção ou poder raciocinar, processar informações, inclusive acerca da área emocional, sentimental.

Imagina-se que o cachorro, por exemplo, tenha sentimentos e emoções, porém ligados à agressividade. Sentimentos esses que darão a ele noções, percepções do meio, provenientes dos estímulos sentidos que, em certas ocasiões, promoverão reações (emocionais ou não) com agressividade, levando-o a uma ação ou atitude fisiológica, ou seja, de latir ou de morder.agressividade-infantil

O ser humano também tem sentimentos e emoções ligados à área da agressividade. E, mediante estímulos internos, têm esses estados mobilizados em si mesmos e, na hora de reagir, dependendo das circunstâncias em que os fatos ou atos ocorram, também poderá “morder” ou promover qualquer outra forma de manifestação da sua agressividade, ainda que seja através da arrogância, da passividade, do desrespeito, da indiferença, da omissão, da submissão, do mando e comando, entre muitas outras possibilidades.

images (54)No entanto, isso não é a tendência. A tendência é usar um pensamento lógico, organizado, estruturado, para reclamar, apontar defeitos, buscar argumentar, colocar equívocos e, muitas vezes, encher-se de razões, as quais, por vezes, na raiz da coisa, não tem nada a ver com aquilo que está sendo sentido ou movimentado. O ser humano, em raras ocasiões, encontrar-se-á a refletir sobre por que se deixou levar por esse ou aquele impulso, bem como quais foram as situações em que se viu, ali, envolvido.

images (56)A pessoa humana constitui-se de um conjunto de comportamentos, ainda invisíveis para si mesma e para o entorno. O que você vê e observa são apenas corpos, que se movem e manifestam comportamentos através de ações e reações que, na maioria das vezes, não há como explicar determinados fatos e circunstâncias. A pessoa, em si, é um conjunto de comportamentos que define a espécie e nada mais.

Boas reflexões!

Equipe de Comunicação do Sistema Tempo de Ser

Fonte: www.tempodeser.org.br

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone